Xicuembo (versão 3.0)

memórias & resmungos do Carlos Gil

A minha fotografia
Nome:

carlosgil2006@gmail.com

sábado, novembro 12, 2005

Ainda Cahora Bassa

Na edição on line do Expresso, o artigo de Jaime Nogueira Pinto "A venda de Cahora Bassa" só está disponível para assinantes, link impossível.
Não me vou dar à maçada de o transcrever, e só reclamo a sua leitura acreditando que muita boa gente que lê o Xicuembo é herege militante e também lê o Expresso.
Faço-o por uma boa razão: surpreendi-me concordando do princípio ao fim com o articulista, um conhecido politólogo da direita portuguesa. A lucidez descomplexada, vem, às vezes, de onde ela não se espera*.
* ... e julgando que ainda em tempo: o contencioso colonial é dos temas nacionais em que a direita revela-se como mais fechada em dogmas. Julgo ser isto pacífico.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Porquê reduzir tudo a esquerda e direita? Eu, que sou do centro, meti post sobre Cahora Bassa. Não te surpreendeste a concordar comigo? Ou não concordaste? Bolas, diz qualquer coisa, não sou famoso como o JNP nem escrevo no Expresso, mas isso é mal? Ou sarna? Abraço. João Tunes

sábado, novembro 12, 2005 11:51:00 da tarde  
Blogger Carlos Gil said...

Este 'bateu', dei por mim a pensar 'eu assinava isto'. E calhou lembrar-me e escrevê-lo. Sabes tu e sabemos todos que lemos a uma velocidade tal, net, que a novidade do papel na mão parece que seduz.Ou só foi aquele 'bateu', calhou assim mas não renega que se ande atento ao tema, leia-se e pense-se, e o que o silêncio não seja santificado porque calha ser quebrado. Sou fraco corredor, João. Por isso procuro a sombra da árvore, ler com todo o vagar do mundo.E dar-me por feliz por ler, às vezes até espirro ou soluço e dou sinal de mim, eu sei que é feitio sacana, eu sei... Toma lá um abraço só para ver se paras de resmungar, pois o que tu queres sei eu e não passa exactamente por um banho em águas semlahantes às de Cahora Bassa, lol

domingo, novembro 13, 2005 2:08:00 da manhã  
Blogger Carlos Gil said...

: de direita, porque o JNP é assumida e por escrito ideólogo da direita portuguesa. Aqui não há que confundir, o homem já disse há muitos anos atrás ao que vinha e o que pensava, e nunca nada soou em aletrações de substância.

domingo, novembro 13, 2005 2:12:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Fight Spam! Click Here!