Xicuembo (versão 3.0)

memórias & resmungos do Carlos Gil

A minha fotografia
Nome:

carlosgil2006@gmail.com

domingo, setembro 04, 2005

Pornográfico


Há palavras que não se usam senão quando a lascívia nos domina e na posse copulada as vozes enrouquecem e o ser-animal, cego na ânsia faminta do corpo por outro corpo, solta proibições e ruge o seu desejo na intimidade do acasalamento, libertando as palavras que então soam como as certas, pornograficamente certeiras, extensão oral duma pele que se dá e que recebe na doce refrega sexual, fluído da vida, elixir do sorrir.

Nos murmúrios segredados, nas confidências partilhadas e nos pedidos mais íntimos, a palavra pornográfica transmuta-se e soa dentro dos amantes como terna e estimulante, janela que se abre ao reino do inconfessado, vitamina extra que é complemento no festim das carnes que se seduziram e encantaram, ora livres de trapos, medos, inibições, entregues à sua mais terna missão, o prazer irracional do beijo dos corpos.

Eu sou pornográfico, ia acrescentar 'felizmente' mas não se dizem evidências, sussurram-se nos momentos que as merecem.

1 Comments:

Blogger th said...

hummmmmmmmmm!!! cada um gasta do que gosta...lol

segunda-feira, setembro 05, 2005 1:08:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Fight Spam! Click Here!