Xicuembo (versão 3.0)

memórias & resmungos do Carlos Gil

A minha fotografia
Nome:

carlosgil2006@gmail.com

sábado, junho 18, 2005

de repente

O livro, a festa, eu, tudo se tornou secundário com a alegria que recebi, embora manchada um niquito mas isso também é crescer, e ele percebê-lo-á. Amanhã conto, agora vou aproveitar todos os minutos, olhar para a vida da minha vida que, em coincidências inexplicáveis, voou milhares de quilómetros e, sem aviso, surgiu aos meus olhos radiantes com a verdadeira prenda que eu poderia hoje, ontem, qualquer dia, desejar. Tenho o meu filho comigo, porra não resisto a contá-lo. E que se lixe o livro (calma, eu vou lá e ele, eles, todos os meus filhos estarão ao meu lado), é aqui no meu blogue que quero partilhar esta grande, enorme, alegria que me tomou.

16 Comments:

Blogger 100 nada said...

É para e pelos filhos que deixamos o que temos de melhor, não é? Um abraço na sua felicidade, que é tão contagiante, lida assim, neste texto tão simples e tão tocante.

sábado, junho 18, 2005 12:54:00 da tarde  
Blogger Isabel-F. said...

Fico feliz também...

Beijo

sábado, junho 18, 2005 12:59:00 da tarde  
Blogger th said...

Meu Deus, meu peito ia rebentando!
Sei que me deixas ser feliz por ti!
Um beijo só, enorme, para a Família!
th

sábado, junho 18, 2005 1:19:00 da tarde  
Blogger Incompetente said...

Ó Carlos,

Também me associo à tua alegria, desejando o maior sucesso para este teu "filho" mais novo.
Que ele tenha um futuro risonho e que a festa, mais logo, seja de arromba!!!

Um grande abraço!

sábado, junho 18, 2005 4:59:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Carlos

Dá para sentir tua emoção..
um beijo grande tareca

sábado, junho 18, 2005 7:47:00 da tarde  
Blogger Luciano Rodrigues said...

Carlos, sinceros parabéns! E agora não vou parar de o chatear enquanto não conseguir aquilo que falámos à tarde, no bonito lançamento do livro.

sábado, junho 18, 2005 8:33:00 da tarde  
Blogger Laura Lara said...

Carlos, estive lá, no lançamento. Gostei. Muitos parabéns e que se vendam muitos exemplares.
Beijinhos beirenses

sábado, junho 18, 2005 10:07:00 da tarde  
Blogger Madalena said...

Um beijo grande e parabéns por tudo: pelo livro, em primeiro lugar, pela verdade e sensibilidade com que deixaste tudo acontecer. Foram momentos muito bons. Mas onde é que a Laura se meteu?

sábado, junho 18, 2005 11:41:00 da tarde  
Blogger Martin Pawley said...

Parabéns, Carlos; um abraço desde a Galiza.

domingo, junho 19, 2005 12:15:00 da manhã  
Anonymous IO said...

Mufana feliz:

Adorámos, mesmo com as brankas todas, foste BRILHANTE!!! - Marlene.

Gil, foi SENSACIONAL e não tenho mais palavras - muf'

Adorei, subscrevo tudo o que elas disseram - Ni.

Xicuembos de beijos - três pitinhas.

domingo, junho 19, 2005 12:59:00 da manhã  
Blogger Mitsou said...

Parabéns, Carlos. Foi lindo e só confirmei o que já sabia: que és uma pessoa especial. Beijinhos e um óptimo domingo de amor em família!
P.S. Claro que já comecei a lê-lo!)

domingo, junho 19, 2005 2:10:00 da manhã  
Blogger jpt said...

Tantos parabéns e ninguém refere o muito fundamental. Os canapés, valiam?
[e só aqui percebo que o chora-que-logo-bebes é também Restos-de-colecção?]
então que o livro esteja seja distribuído, que para a quinzena já o poderei comprar por aí

domingo, junho 19, 2005 7:17:00 da manhã  
Blogger L. said...

Estavam lá os canapés, mas quem pensava neles? Foi um fim de tarde de xicuembo, mágico. Que mais posso dizer? E já comecei a ler, também....que safadinho, hem...
Além disso, julgo já ter decifrado a dedicatória que o autor escreveu na primeira página do livro. Letra de médico? Pior! Mas compreende-se, a emoção turva os olhos e as letras ficam dançarinas.
Um beijo, Gil.

domingo, junho 19, 2005 2:25:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

1) Deixei lá e deixo aqui:
"Ele, o Escritor, nem se apercebeu disso, tamanhos eram o empenho e a comoção a aviar abraços aos muitos que lá foram dizer o tanto de estimas ali a desaguarem. Porque o Escritor, pelo menos este Escritor, é um distraído. E eu, manhoso, aproveitei-lhe a distracção e, pumba, meti-o a rabiscar uma dedicatória com mão tremida num diamante e depois zarpei porta fora e feliz por ter enganado o Escritor. Convencido estou que, a estas horas e nas outras horas, o Escritor deve estar convencido que aviou escritos do peito em livros de papel. Engano dele, riqueza minha. Ele que continue distraído porque quanto à peça de joalharia que lhe surripiei essa já está enfiadinha no guarda-jóias da minha riqueza de afectos e talentos. Enganei-te bem ó Carlos. Xicuembo, olé!"
2) Como entendo a "L" por mim - lido já o livro está, a dedicatória bem pode esperar até fim do ano com leitura diária que aquilo é mais trabalho de cifra que de leitura.
Abraço. João Tunes

domingo, junho 19, 2005 2:45:00 da tarde  
Blogger Brigida Rocha Brito said...

E, infelizmente para mim, não pude assistir, nem conhecer pessoalmente o "Xicuembo". Mas vou comprar o livro porque tenho muita vontade de o ler.
Bjs e aqui ficam os meus parabéns!!!

domingo, junho 19, 2005 2:59:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Melhor era impossível...aconteceu a cereja (Miguel) em cima do bolo (Xicuembo).
O meu Amigo tem destas coisas...transforma-se, transfigura-se, reinventa-se, metamorfosa-se, mas sempre fiel ao seu personagem que carrega consigo uma enorme emoção.
Fiquei muito feliz por verificar que o meu Amigo tem muitos Amigos.
Este já está lido. Venha o próximo.
Um grande abraço.
Zulu

domingo, junho 19, 2005 4:01:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Fight Spam! Click Here!