Xicuembo (versão 3.0)

memórias & resmungos do Carlos Gil

A minha fotografia
Nome:

carlosgil2006@gmail.com

terça-feira, setembro 06, 2005

Poesia Moçambicana

"Subúrbios by night"


Lá no beco da ti’Juliana
logo logo tem a cantina do Dias mulungo
e há uma árvore que sabe das coisas
ela viu tudo, tudo.

A luz do jeep cinzento
as fardas pretas e os bastões
viu as botas ouviu os gritos
ela viu tudo, tudo

lá no beco da ti’Juliana
onde o caniço está partido
eles bateram, bateram, bateram
no fim das luzes ficou um corpo caído
mais o caniço, tudo partido

nem o Dias nem ninguém
abriu uma janela, uma porta, um grito
a ti’Juliana dormia sem sono
a árvore viu tudo tudo.

Foi lá no beco escondido,
as fardas pretas arrombaram o caniço;
as botas pisaram, os bastões bateram
e a árvore viu tudo tudo

De manhã passos de criança
sob a árvore que sabe das coisas
misturaram areia ao sangue caído
lá, onde o caniço está partido

os pés correram as mãos brincaram
lá onde o caniço está partido
onde está a árvore que sabe das coisas
ela que viu tudo, tudo

Um dia crescerão e
eles sabem tudo, eles sabem tudo



José Alberto Sitoe

2 Comments:

Blogger th said...

Coloquei na Sebenta, penso que não te importas, gostei muito...das duas...th

quarta-feira, setembro 07, 2005 2:03:00 da manhã  
Blogger th said...

NÃO TEM DE QUÊ, VIU...E JÁ EMENDEI! quanto à música...não é que eu gosto de ouvir o silêncio!!! th

quarta-feira, setembro 07, 2005 11:44:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Fight Spam! Click Here!